sábado, 31 de outubro de 2015

1º DE NOVEMBRO, SOLENIDADE DE TODOS OS SANTOS





O templo de Agripa fora consagrado no tempo de Augustus a todos os deuses do paganismo e por esse motivo denominado de Panteão. Bonifácio VIII mandou transladar para lá as relíquias de todos os mártires encontrado nas catacumbas e no dia 13 de Maio do ano 610 dedicou esta nova basílica a Todos os Mártires e a Mãe de Deus. A festa desta dedicação foi retomando com o tempo um caráter universal, sendo mais tarde consagrada a Virgem Santíssima e Todos os Santos, celebrada em dias diferentes nas diversas igrejas, e no ano de 835 fora fixada por Gregório IV no dia 1º de Novembro, Gregório VIII transferiu esta data a dedicação do Panteão. A festa de Hoje recorda pois e celebra a vitória do Deus Verdadeiro contra as falsas divindades do mundo pagão. Em razão de sua origem, a missa de hoje vai buscar numerosos textos da liturgia dos mártires. A Santa Igreja coloca-nos debaixo dos olhos a admirável visão do Céu, a visão dos doze mil inscritos (12 por ser um número perfeito e indica a plenitude) de cada tribo de Israel e da multidão sem conta, procedente de todos os povos, línguas e tribos, todos de pé diante do Cordeiro, vestidos de branco e palmas nas mãos. Jesus Cristo, Maria Santíssima, as falanges dos espíritos bem-aventurados distribuídos em nove coros, os apóstolos, os mártires envoltos na púrpura do sangue que verteram, os confessores vestidos de branco, o coro casto das virgens formam um majestoso cortejo.


Compõe-se dos que na terra andaram nos passos de Jesus, dos pobres de espírito, dos mansos, dos aflitos, dos que sofreram fome e sede de justiça, dos misericordiosos, dos puros, dos pacientes, dos que foram perseguidos pelo nome de Jesus. Alegrai-vos lhe dizia o Mestre, porque a vossa recompensa será grande nos Céus. Entre estes milhares de justos que foram discípulos fiéis de Jesus encontramos muitos de nossos parentes, amigos, filhos de nossa terra e de nossa aldeia, e que agora participam da glória de Cristo, Rei dos reis e coroa dos santos. Ao assistimos a missa de hoje lembremo-nos do sacerdócio de Cristo na terra, exercido invisivelmente nos nossos altares e que se identifica com o que é visivelmente no Céu. Os altares da terra onde reside o cordeiro de Deus e nos altares do Céu onde o cordeiro se ostenta de pé e em estado de vítima são um e o mesmo altar.



Epístola

Leitura do Livro do Apocalipse (7, 2-12) : Naqueles dias: Eu João, vi ainda outro anjo subir do oriente; trazia o selo de Deus vivo, e pôs-se a clamar com voz retumbante aos quatro Anjos, aos quais fora dado danificar a terra e o mar, dizendo: Não danifiqueis a terra, nem o mar, nem as árvores, até que tenhamos assinalado os servos de nosso Deus em suas frontes. Ouvi então o número dos assinalados: cento e quarenta e quatro mil assinalados, de toda tribo dos filhos de Israel; da tribo de Judá, doze mil assinalados; da tribo de Rubem, doze mil; da tribo de Gad, doze mil; da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Neftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; da tribo de Zabulon, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim, doze mil assinalados. Depois disso, vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de toda nação, tribo, povo e língua: conservavam-se em pé diante do trono e diante do Cordeiro, de vestes brancas e palmas na mão, e bradavam em alta voz: A salvação é obra de nosso Deus, que está assentado no trono, e do Cordeiro. E todos os Anjos estavam ao redor do trono, dos Anciãos e dos quatro Animais; prostravam-se de face em terra diante do trono e adoravam a Deus, dizendo: Amém, louvor, glória, sabedoria, ação de graças, honra, poder e força ao nosso Deus pelos séculos dos séculos! Amém.



Evangelho do dia:

Leitura do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São São Mateus (5, 1-12): Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Vendo aquelas multidões, Jesus subiu à montanha. Sentou-se e seus discípulos aproximaram-se dele. Então abriu a boca e lhes ensinava, dizendo: Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados! Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra! Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados! Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia! Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus! Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus! Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus! Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós. 




Confessores




Mártires




Virgens




Apóstolos




Doutores

Ladainha de Todos os Santos

Senhor, tende piedade de nós.Kyrie, eleison.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.Christe, eleison.
Senhor, tende piedade de nós.Kyrie, eleison.
Jesus Cristo, ouvi-nos.Christe, audi nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.Christe, exaudi nos.
Deus pai do ceu, tende piedade de nós.Pater de caelis Deus, miserere nobis.
Deus filho, redentor do mundo, tende piedade de nós.Fili Redemptor mundi Deus, miserere nobis.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.Spiritus Sancte Deus, miserere nobis.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.Sancta Trinitas, unus Deus, miserere nobis.
Santa Maria, rogai por nós.Sancta Maria, ora pro nobis.
Santa Mãe de Deus, rogai por nós.Sancta Dei Genetrix, ora pro nobis.
Santa Virgem das virgens, rogai por nós.Sancta Virgo virginum, ora pro nobis.
São Miguel, rogai por nós.Sancte Michael, ora pro nobis.
São Gabriel, rogai por nós.Sancte Gabriel, ora pro nobis.
São Rafael, rogai por nós.Sancte Raphael, ora pro nobis.
Todos os santos Anjos e Arcanjos, rogai por nós.Omnes sancti Angeli et Archangeli, orate pro nobis.
Todos as santas ordens de Espíritos bem-aventurados, rogai por nós.Omnes sancti beatorum Spirituum ordines, orate pro nobis.
São João Batista, rogai por nós.Sancte Ioannes Baptista, ora pro nobis.
São José, rogai por nós.Sancte Ioseph, ora pro nobis.
Todos os santos patriarcas e profetas, rogai por nós.Omnes sancti Patriarchae et Prophetae, orate pro nobis.
São Pedrorogai por nós.Sancte Petreora pro nobis.
São Paulo, rogai por nós.Sancte Paule, ora pro nobis.
Santo André, rogai por nós.Sancte Andrea, ora pro nobis.
São Thiago, rogai por nós.Sancte Iacobe (maior), ora pro nobis.
São João, rogai por nós.Sancte Ioannes, ora pro nobis.
São Tomé, rogai por nós.Sancte Thoma, ora pro nobis.
São Thiago, rogai por nós.Sancte Iacobe (minor), ora pro nobis.
São Felipe, rogai por nós.Sancte Philippe, ora pro nobis.
São Bartolomeu, rogai por nós.Sancte Bartolomaee, ora pro nobis.
São Mateus, rogai por nós.Sancte Matthaee, ora pro nobis.
São Simão, rogai por nós.Sancte Simon, ora pro nobis.
São Tadeu, rogai por nós.Sancte Thaddaee, ora pro nobis.
São Matias, rogai por nós.Sancte Matthia, ora pro nobis.
São Barnabé, rogai por nós.Sancte Barnaba, ora pro nobis.
São Lucas, rogai por nós.Sancte Luca, ora pro nobis.
São Marcos, rogai por nós.Sancte Marce, ora pro nobis.
Todos os santos apóstolos e evangelistas, rogai por nós.Omnes sancti Apostoli et Evangelistae, orate pro nobis.
Todos os santos Discípulos do Senhor, rogai por nós.Omnes sancti discipuli Domini, orate pro nobis.
Todos os santos inocentes, rogai por nós.Omnes sancti Innocentes, orate pro nobis.
São Estevão, rogai por nós.Sancte Stephane, ora pro nobis.
São Lorenço, rogai por nós.Sancte Laurenti, ora pro nobis.
São Vicente, rogai por nós.Sancte Vincenti, ora pro nobis.
Santos Fabiano e Sebastião, rogai por nós.Sancti Fabiane et Sebastiane, orate pro nobis.
Santos João e Paulo, rogai por nós.Sancti Iohannes et Paule, orate pro nobis.
Santos Cosme e Damião, rogai por nós.Sancti Cosma et Damiane, orate pro nobis.
Santos Gervásio e protasio, rogai por nós.Sancti Gervasi et Protasi, orate pro nobis.
Todos os santos Mártires, rogai por nós.Sancte Cypriane, ora pro nobis.
São Silvestre, rogai por nós.Sancte Sylvester, ora pro nobis.
São Gregório, rogai por nós.Sancte Gregori, ora pro nobis.
Santo Ambrósio, rogai por nós.Sancte Ambrosi, ora pro nobis.
São Angostinho, rogai por nós.Sancte Augustine, ora pro nobis.
São Jerônimo, rogai por nós.Sancte Hieronyme, ora pro nobis.
São Martim, rogai por nós.Sancte Martine, ora pro nobis.
São Nicolau, rogai por nós.Sancte Nicolae, ora pro nobis.
Todos os santos pontífices e confessores, rogai por nós.Omnes sancti Pontifices et Confessores, orate pro nobis.
Todos os santos doutores, rogai por nós.Omnes sancti Doctores, orate pro nobis.
Santo Antônio, rogai por nós.Sancte Antoni, ora pro nobis.
São Bento, rogai por nós.Sancte Benedicte, ora pro nobis.
São Bernardo, rogai por nós.Sancte Bernarde, ora pro nobis.
São Domingos, rogai por nós.Sancte Dominice, ora pro nobis.
São Francisco, rogai por nós.Sancte Francisce, ora pro nobis.
Todos os santos sacerdotes e levitas, rogai por nós.Omnes sancti Sacerdotes et Levitae, orate pro nobis.
Todos os santos Monges e eremitas, rogai por nós.Omnes sancti Monachi et Eremitae, orate pro nobis.
Santa Maria Madalena, rogai por nós.Sancta Maria Magdalena, ora pro nobis.
Santa Águeda, rogai por nós.Sancta Agatha, ora pro nobis.
Santa Lúcia, rogai por nós.Sancta Lucia, ora pro nobis.
Santa Inês, rogai por nós.Sancta Anges, ora pro nobis.
Santa Cecília, rogai por nós.Sancta Caecilia, ora pro nobis.
Santa Anastásia, rogai por nós.Sancta Anastasia, ora pro nobis.
Todas as santas virgens e viúvas, rogai por nós.Omnes sanctae Virgines et Viduae, orate pro nobis.
Todos os santos e santas de Deus, intercedei por nós.Omnes Sancti et Sanctae Dei, intercedite pro nobis.
Sêde propício, perdoai-nos Senhor.Propitius esto, parce nos, Domine.
Sêde propício, ouvi-nos Senhor.Propitius esto, exaudi nos, Domine.
De todo o mal, livrai-nos Senhor.Ab omni malo, libera nos, Domine.
De todo o pecado, livrai-nos Senhor.Ab omni peccato, libera nos, Domine.
De vossa ira, livrai-nos Senhor.Ab ira tua, libera nos, Domine.
Da morte repentina e imprevista, livrai-nos Senhor.A subitanea et improvisa morte, libera nos, Domine.
Das ciladas do demônio, livrai-nos Senhor.Ab insidiis diaboli, libera nos, Domine.
De toda a ira, ódio e má vontade, livrai-nos Senhor.Ab ira et odio et omni mala voluntate, libera nos, Domine.
Do espírito da fornicação, livrai-nos Senhor.A spiritu fornicationis, libera nos, Domine.
Do raio e da tempestade, livrai-nos Senhor.A fulgure et tempestate, libera nos, Domine.
Do flagelo do terremoto, livrai-nos Senhor.A flagello terraemotus, libera nos, Domine.
Da peste da fome e da guerra, livrai-nos Senhor.A peste, fame et bello, libera nos, Domine.
Da morte eterna, livrai-nos Senhor.A morte perpetua, libera nos, Domine.
Pelo mistério de vossa santa encarnação, livrai-nos Senhor.Per mysterium sanctae Incarnationis tuae, libera nos, Domine.
Pela vossa vinda, livrai-nos Senhor.Per adventum tuum, libera nos, Domine.
Pelo vosso nascimento, livrai-nos Senhor.Per nativitatem tuam, libera nos, Domine.
Por vosso batismo e santo jejum, livrai-nos Senhor.Per baptismum et sanctum ieiunium tuum, libera nos, Domine.
Por vossa cruz e paixão, livrai-nos Senhor.Per crucem et passionem tuam, libera nos, Domine.
Por vossa morte e sepultura, livrai-nos Senhor.Per mortem et sepulturam tuam, libera nos, Domine.
Por vossa santa ressurreição, livrai-nos Senhor.Per sanctam resurrectionem tuam, libera nos, Domine.
Por vossa admirável ascensão, livrai-nos Senhor.Per admirabilem ascensionem tuam, libera nos, Domine.
Pela vinda do Espírito Santo Consolador, livrai-nos Senhor.Per adventum Spiritus Sancti Paracliti, libera nos, Domine.
No dia do juízo, livrai-nos Senhor.In die iudicii, libera nos, Domine.
Pecadores que somos, nós vos rogamos: ouvi-nos.Peccatores, te rogamus, audi nos.
Que nos perdoeis, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut nobis parcas, te rogamus, audi nos.
Que useis de indulgência conosco, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut nobis indulgeas, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis conduzi-nos a verdadeira penitência, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut ad veram paenitentiam nos perducere digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis reagir e conservar a vossa santa igreja, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut Ecclesiam tuam sanctam regere et conservare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis conservar a vossa santa religião o Sumo Pontífice e a todos as ordens da hierarquia eclesiástica, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut domum Apostolicum et omnes ecclesiasticos ordines in sancta religione conservare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis humilhar os inimigos da igreja, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut inimicos sanctae Ecclesiae humiliare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis conceder a verdadeira paz e concórdia entre os reis e príncipes cristãos, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut regibus et principibus christianis pacem et veram concordiam donare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis conceder a paz e a união a todo o povo cristão, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut cuncto populo christiano pacem et unitatem largiri digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis chamar à unidade da Igreja, a todos os que estão alheios a ela, para iluminar todos os infiéis com a luz do Evangelho, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut omnes errantes ad unitatem Ecclesiae revocare, et infideles universos ad Evangelii lumen perducere digneris, te rogamus, audi nos.
Que vos digneis confortar-nos e conservar-nos em vosso santo serviço, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut nosmetipsos in tuo sancto servitio confortare et conservare digneris, te rogamus, audi nos.
Que levanteis nossos corações a desejar as coisas celestiais, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut mentes nostras ad caelestia desideria erigas, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis retribuir, com os bens eternos a todos os nossos benfeitores, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut omnibus benefactoribus nostris sempiterna bona retribuas, te rogamus, audi nos.
Que livreis da morte eterna nossas almas e as de nossos irmãos, parentes e benfeitores, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut animas nostras, fratrum, propinquorum et benefactorum nostrorum ab aeterna damnatione eripias, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis dar e conservar os frutos da terra, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut fructus terrae dare et conservare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis conceder o eterno descanso a todos os fiéis defuntos, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut omnibus fidelibus defunctis requiem aeternam donare digneris, te rogamus, audi nos.
Que nos digneis atender-nos, nós vos rogamos: ouvi-nos.Ut nos exaudire digneris, te rogamus, audi nos.
Filho de Deus, nós vos rogamos: ouvi-nos.Fili Dei, te rogamus, audi nos.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, parce nobis, Domine.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, exaudi nos, Domine.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós.Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Jesus Cristo, ouvi-nos.Christe, audi nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.Christe, exaudi nos.
Senhor, tende piedade de nós.Kyrie, eleison.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.Christe, eleison.
Senhor, tende piedade de nós.Kyrie, eleison.
Pai nosso (secreto)Pater noster (silentio)
E não nos dexeis cair em tentação.Mais livrai-nos do mal. Amem.Et ne nos inducas in tentationem.Sed libera nos a malo. Amem.





    "Ladainha de Todos os Santos"
MONTFORT Associação Cultural
http://www.montfort.org.br/index.php?secao=oracoes&subsecao=ladainhas&artigo=ladainha_santos&lang=bra
Online, 17/08/2011 às 23:50h



Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960

sábado, 24 de outubro de 2015

SOLENIDADE DE CRISTO REI DO UNIVERSO (Último domingo de Outubro)








Para a grande maioria dos católicos a festa de Cristo Rei se dá no último domingo do tempo comum. Na liturgia tradicional esta festa se dá hoje, no último domingo de Outubro. É uma oportunidade de conhecer as origens da fé a qual pertencemos.

Pio XI quis ao instituir a festa de Cristo Rei, proclamar solenemente perante aos homens o reinado social de Cristo. Rei das almas e das consciências, rei das inteligências e das vontades, Jesus Cristo é o rei também das famílias, da cidade, do povo, da nação e do mundo todo. Como Pio XI demonstrou bem na encíclica "Pax Christi in regno Christi", o laicismo, tão presente atualmente, é a negação radical a realeza de Nosso Senhor Jesus Cristo. Organizando a vida social como se Deus não existisse, gera no espírito das massas a apostasia e conduz a sociedade a ruína  Para combater esta terrível heresia julgou o Papa que a liturgia seria o meio mais eficaz porque iria propor durante todos os homens nos seus espíritos vazios a proclamação solene de que que Cristo é o Rei de nossas vidas. A missa e o ofício desta festa são, com efeito, a proclamação solene da realeza universal de Cristo sobre os homens e sobre o mundo. Fixada no último domingo de Outubro a festa de Cristo Rei se torna quase na vigília de Todos os Santos, esta festa portanto se torna na coroação de todos os eleitos do Reino de Deus. A grande realidade do cristianismo é precisamente Cristo ressuscitado reinando gloriosamente no meio dos eleitos, que são a aquisição do seu sangue.

Epístola da Festa:

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Colossensses (1, 12-20): Sede contentes e agradecidos ao Pai, que vos fez dignos de participar da herança dos santos na luz. Ele nos arrancou do poder das trevas e nos introduziu no Reino de seu Filho muito amado, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. Ele é a imagem de Deus invisível, o Primogênito de toda a criação. Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele. Ele existe antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem nele. Ele é a Cabeça do corpo, da Igreja. Ele é o Princípio, o primogênito dentre os mortos e por isso tem o primeiro lugar em todas as coisas. Porque aprouve a Deus fazer habitar nele toda a plenitude e por seu intermédio reconciliar consigo todas as criaturas, por intermédio daquele que, ao preço do próprio sangue na cruz, restabeleceu a paz a tudo quanto existe na terra e nos céus.


Evangelho da Festa:


 ✠ Seq. S. Evangelii sec. Joannem. In illo tempore: dixit Pilatus: Tu es rex Judæorum? et respondit Jesus: a temet ipso hoc dicis an alii tibi dixerunt de me respondit Pilatus numquid ego Judæus sum gens tua et pontifices tradiderunt te mihi quid fecisti respondit Jesus regnum meum non est de mundo hoc si ex hoc mundo esset regnum meum ministri mei decertarent ut non traderer Judæis nunc autem meum regnum non est hinc dixit itaque ei Pilatus ergo rex es tu respondit Jesus tu dicis quia rex sum ego ego in hoc natus sum et ad hoc veni in mundum ut testimonium perhibeam veritati omnis qui est ex veritate audit meam vocem  


Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João:Naquele Tempo disse Pilatos a JesusÉs tu o rei dos judeus? Jesus respondeu: Dizes isso por ti mesmo, ou foram outros que to disseram de mim? Disse Pilatos: Acaso sou eu judeu? A tua nação e os sumos sacerdotes entregaram-te a mim. Que fizeste? Respondeu Jesus: O meu Reino não é deste mundo. Se o meu Reino fosse deste mundo, os meus súditos certamente teriam pelejado para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu Reino não é deste mundo. Perguntou-lhe então Pilatos: És, portanto, rei? Respondeu Jesus: Sim, eu sou rei. É para dar testemunho da verdade que nasci e vim ao mundo. Todo o que é da verdade ouve a minha voz.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960

terça-feira, 20 de outubro de 2015

20 de Outubro - São João Câncio, Confessor


Considerado um dos santos mais representativos e queridos da heroica Polônia, são João Câncio é chamado, pelo povo, de a "glória da nação polonesa" e o "pai da pátria". Isso num país que sempre teve orgulho de sua fé no cristianismo e da fidelidade à cátedra de Pedro.

João Câncio nasceu em 23 de junho de 1390, no povoado de Kenty, e viveu sempre em sua cidade, Cracóvia. Lá, conquistou todos os graus acadêmicos e lecionou em sua principal universidade até morrer. A grande preocupação de seu magistério era transmitir aos alunos os conhecimentos "não à luz de uma ciência fria e anônima, mas como irradiação da ciência suprema que tem sua fonte em Deus".

Mesmo depois de ordenar-se sacerdote, continuou a cultivar a ciência, ao mesmo tempo que fazia seu trabalho pastoral como vigário da paróquia de Olkusz. Homem de profunda vida interior, jejuava e penitenciava-se semanalmente, ao mesmo tempo que espalhava o amor pelo próximo entre os estudantes e os pobres da cidade.

Há um exemplo claro de sua personalidade em sua biografia, que remonta às inúmeras peregrinações e romarias aos túmulos dos mártires em Roma, bem como aos lugares santos da Palestina. Numa dessas incontáveis viagens, foi assaltado. Os bandidos exigiram que João Câncio lhes desse tudo que tinha, depois perguntaram ainda se não estava escondendo mais nada. Ele afirmou que não.

Depois que os ladrões partiram, ele se lembrou de que ainda tinha algumas moedas no forro do manto. Achou-as, correu atrás dos bandidos, deu-lhes as moedas e ainda pediu desculpa pelo esquecimento.

Anos depois, ao perceber a proximidade da morte, distribuiu os poucos bens que possuía aos pobres, falecendo às vésperas do Natal de 1473. Foi canonizado por Clemente II em 1767. 


Fonte: Paulinas

sábado, 17 de outubro de 2015

XXII Domingo Após Pentecostes: "Dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus" (Ev.)


Os Judeus submetidos ao império romano, deviam pagar anualmente a César um tributo que lhes era tanto mais odioso quanto lhes feria diretamente o espírito de domínio universal de que Israel acreditava ter recebido as promessas. De maneira que, se Jesus respondesse à pergunta capciosa dos rabinos que deviam pagar o tributo, indispunha o povo contra Ele; se respondesse que não, seria condenado pela autoridade de Roma. Julga­vam-se portanto da posse dum meio que lhes permitiria prender o Redentor.

Jesus, porém, com infinita sabedoria, sem procurar de modo nenhum furtar-se ao astuto dilema, aproveitou a ocasião para nos dar uma lição magnífica, dos nossos deveres cívicos e religiosos. De quem é esta imagem e inscrição: Perguntou Ele aos Judeus. De César, responderam. Pois então, dai a César que é de César e a Deus o que é de Deus. “A autoridade humana, que governa com o poder que lhe vem de Deus, devem-se os tributos materiais” o
acatamento às suas leis justas. A Deus deve-se amor, serviço e adoração, tributados de corpo e alma. Deve-se, de justiça, o culto litúrgico. Somos moeda cunhada por Deus à sua imagem e semelhança. E Deus reclama essa moeda como
César a sua.



O pároco celebra a Missa por intenção dos paroquianos.

Epístola de Domingo:

Leitura da Epístola de São Paulo Apóstolo aos Filipenses (1, 6-11) - Irmãos: Estou persuadido de que aquele que iniciou em vós esta obra excelente lhe dará o acabamento até o dia de
Jesus Cristo. É justo que eu tenha bom conceito de todos vós, porque vos trago no coração, por terdes tomado parte na graça que me foi dada, tanto na minha prisão como na defesa e na confirmação do Evangelho. Deus me é testemunha da ternura que vos consagro a todos, pelo entranhado amor de Jesus Cristo! Peço, na minha oração, que a vossa caridade se enriqueça cada vez mais de compreensão e critério, com que possais discernir o que é mais perfeito e vos torneis puros e irrepreensíveis para o dia de Cristo, cheios de frutos da justiça, que provêm de Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus.



Evangelho de Domingo:

Continuação do Santo Evangelho segundo São Mateus: Naquele tempo: Reuniram-se então os fariseus para deliberar entre si sobre a maneira de surpreender Jesus nas suas próprias palavras. Enviaram seus discípulos com os herodianos, que lhe disseram: Mestre! Sabemos que és verdadeiro e ensinas o caminho de Deus em toda a verdade, sem te preocupares com ninguém, porque não olhas para a aparência dos homens. Dize-nos, pois, o
que te parece: É permitido ou não pagar o imposto a César? Jesus, percebendo a
sua malícia, respondeu: Por que me tentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda com
que se paga o imposto! Apresentaram-lhe um denário. Perguntou Jesus: De quem é
esta imagem e esta inscrição? De César, responderam-lhe. Disse-lhes então
Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal
Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.